Make your own free website on Tripod.com
Portus 87
TORNEIO ALVO DESPORTIVO
 
Home
HP DE ÉP. ANTERIORES 
ÉPOCA 2002/03
JOGADORES 2001/03 
FOTOGRAFIAS
EUROPEAN TOUR 2003
CELEBRAÇÕES 15 ANOS
TORNEIOS 02/03
CIRCUITO DAS CIDADES
ÉPOCA 2001/02
HISTORIAL
COMENTÁRIOS
 
 
 

TORNEIO "ALVO DESPORTIVO" 2002 

Depois de nos termos classificado na quarta posição da série B, participamos na Taça das Taças

JOGOS DA TAÇA DAS TAÇAS (FASE REGULAR)

1. jornada: PORTUS 87 , 2- Belinda Shoes, 3  

2. jornada: Uponor, 1- PORTUS 87 , 3

3. jornada: PORTUS 87, 4 - acrav, 0

4. jornada: A R Paletes, 2 - PORTUS 87 , 5   

5 jornada: PORTUS 87, 4 - CPC, 5.

Apurados os 4 primeiros para as meias-finais da Taça das Taças

TERMINAMOS NA TERCEIRA POSIÇÃO PELO QUE DEFRONTAMOS O PRIMEIRO CLASSIFICADO (CPC)

 

Quadro dos jogos da meia-final, a disputar no Gimnodesportivo de Custoias, no sábado, 22 de Junho, a partir das 19.30:

PORTUS 87 , 4 - CPC, 5 (após prolongamento e golo dourado) 

BELINDA SHOES, 1 - ACRAV,  2 (na marcação de grandes penalidades)

 


 



TORNEIO "ALVO DESPORTIVO" PRIMAVERA 2002 - JOGO A JOGO


SEGUNDA FASE (TAÇA DAS TAÇAS)

 

MEIA FINAL

PORTUS 87, 4 - CPC, 5 (após prolongamento - golo dourado)

Iniciamos a partida com OM,ZM, GC(1), HV(1) e TZ (1).
Jogaram ainda: MM, MC, JN (1)
Despedimo-nos do torneio com a nossa melhor exibição. Durante toda a primeira parte jogamos um excelente futebol, feito de trocas constantes de bola e de simulações, com remates perigosos.
Isto sempre numa toada de contra-ataque que desbaratinou a equipa adversária e nos valeu três golos de belo recorte técnico, a que a CPC apenas respondeu com um tento.
Na segunda parte, depois de termos marcado por mais uma vez, os jogadores contrários entraram numa estratégia de violência e intimidação, sempre permitida pela fraquíssima arbitragem, 
que obteve os seus frutos. Primeiro, porque enervou a nossa equipa, que tem obviamente uma maneira diferente de estar nestas coisas. 
Segundo, porque esta situação apenas favoreceu quem está habituado a viver neste tipo de ambiente de confrontação e agressividade maldosa. 

Assim, deram realmente a volta ao jogo, sem que lhes tiremos mérito por isso, dado que são uma boa equipa. Nem nos interessa qualquer tipo de desculpabilização.

Mas isso de querer ganhar a todo o preço e por qualquer meio não nos diz nada.

Como se dizia quando éramos "putos": fiquem com a taça!

Nós, preferimos continuar a disfrutar o nosso futebol e a nossa amizade da forma sadia como sempre o fizémos. E por isso, logo a seguir fomos beber uns canecos, comer uns petiscos.

E rir, rir muito, coisa que parece não nos quererem deixar fazer no campo de jogo. Mas nós sempre o faremos porque é uma questão de filosofia de jogo e de...vida.

 

QUINTA JORNADA

PORTUS 87, 4 - CPC, 5

Iniciamos a partida com OM,ZM(3),MC, GC(1) e TZ.
Jogaram ainda: MM, HV

Apesar das duas equipas já terem garantida a passagem à meia final da prova, realizaram uma boa primeira parte, muito equilibrada e bem disputada, refletida no
resultado de 1-1. De realçar o golo de "Chapéu de abas largas" do ZM.

Na segunda metade, tudo começou mal ao "encaixarmos" 3 golos de rajada, resultado de uma estratégia mais arrojada que não resultou, mas reagimos, e
como resultado da nossa pressão, o adversário foi obrigado a utilizar as mãos quando não devia, e ficaram reduzidos a 4. A partir de aí, o nosso
dominio foi avassalador, chegamos ao empate e poderiamos ter resolvido o jogo se não fosse diversos falhanços em frente à baliza (há dias
assim...)... e quem não marca, sofre, num contrataque e em cima do apito
final.

QUARTA JORNADA

PORTUS 87,  5- AR PALETES, 2

Iniciamos a partida com RC,JN(2),HV, GC (2) e ZM.
Jogaram ainda: MM(1), AM

Sabendo que podíamos garantir desde hoje a nossa presença na meia final da Taça das Taças começamos o jogo com uma atitude pressionante a que a equipa adversária respondeu bem, transformando o jogo numa disputa equilibrada. Com a entrada de MM a equipa ganhou acutilância e abrimos o activo por GC. Parecemos então claramente superiores, mas uma desconcentração colectiva custou-nos o empate e seria ZM a salvar de forma estupenda um golo "feito" na nossa baliza, sobre o intervalo.

Na segunda metade, voltamos com "ganas" e dois golos quase seguidos do "capitão" JN deram-nos alguma vantagem também psicológica, a que se juntaria depois novo tento de MM. Entretanto Rui Correia ia protagonizando estreia inspirada com diversas defesas excelentes. Não pôde no entanto evitar o segundo golo contrário a que respondemos ainda antes do fim com novo primoroso golo de um GC em nítida subida de forma.. Agora, sim, já estamos nas meias-finais...

 

TERCEIRA JORNADA

PORTUS 87,  4- ACRAV, 0

Iniciamos a partida com OM,JN(1),HV(1),TZ e ZM.
Jogaram ainda: MM(2), MC

Esta partida serviu para confirmar a nossa subida de forma e ao mesmo tempo para celebrar o regresso do MM à competição. E que jeito ele dá com os seus golos e jogadas. Além disso permite libertar o TZ para que este explane o talento dos seus passes e desmarcações. A equipa ganha com tudo isto e equilibra mais as suas acções e entendimentos. Foi o que aconteceu neste jogo que ganhamos com categoria, embora apenas desfrutássemos de um golo de vantagem ao intervalo (1-0), graças a um golo belíssimo de MM, após combinação com JN.

Na segunda parte fomos ainda mais convincentes e não houve dúvidas sobre o vencedor, sendo ainda de destacar as defesas de OM na nossa baliza, a assegurar o "zero" com espantosas intervenções. Mais uma página na óbvia recuperação do PORTUS!

 

SEGUNDA JORNADA (25/O5/02)

UPONOR,  1 - PORTUS 87, 3

Iniciamos a partida com OM,JN (2),HV,TZ e ZM.
Jogaram ainda: DT(1)

Demos uma resposta cabal ao mau momento em que nos lançara o afastamento da Taça dos Campeões e a derrota da semana anterior. Falamos entre nós, dissemos o que tínhamos a dizer, emendámos alguns erros cometidos e regressamos mais fortes do que nunca e mais unidos ainda. E foi o que se viu. Pressionando o adversário mais à frente na defesa, e circulando muito a bola, conseguimos o domínio do jogo. Depois de inaugurarmos o marcador, por DT, ainda sofremos o empate, mas na segunda parte não demos grandes hipóteses de resposta e marcámos por duas vezes, por intermédio de JN. Vale a pena salientar o terceiro golo, pela sua beleza: TZ sobre a linha lateral fez um passe mágico de calcanhar para HV, que colocou milimetricamente a bola na corrida de JN que, na passada, bateu o guarda-redes contrário. Foi a cereja em cima do bolo da vitória. Que soube especialmente bem dada a fase menos boa que vinha vivendo a equipa e que agora poderá ser difinitivamente ultrapassada. Assim seja!!!


PRIMEIRA JORNADA

PORTUS 87,  2 - BELINDA SHOES, 3

Iniciamos a partida com OM,JN,HV,GC e SM (2).
Jogaram ainda: DT, TZ

A vida não está fácil para o PORTUS 87. Desta vez até começamos bem a partida, com dois golos nos primeiros dez minutos. Boas trocas de bola e combinações ofensivas criativas deram-nos vantagem. Podíamos então ter resolvido o jogo, já que desfrutamos de várias oportunidades, bolas no poste e até fomos prejudicados pelo árbitro que não viu duas mãos na bola dentro da área do adversário. Mas o golo da Belina, fruto de um erro defensivo básico deu ao nosso oponente motivação para a segunda parte.

Na etapa complementar jogamos realmente mal, de forma atabalhoada no ataque e desorganizada na defesa, acabando por permitir a reviravolta total no resultado. Na verdade, a desqualificação dramática da Taça dos Campeões parece estar a afectar muito a equipa. Será agora hora de voltarmos a unir forças, voltar aos nosso princípios de jogo e dar a volta por cima. Força PORTUS!!!

 

 

PRIMEIRA FASE (geral) - série b

 

QUINTA JORNADA (11/O5/02)


PORTUS 87,  3 - SBE, 3

Iniciamos a partida com OM,JN(2),MC(1),GC e SM.
Jogaram ainda: HV, ZM e TZ

Este foi um dos encontros mais dramáticos da história do PORTUS 87. A situação era, desde logo, difícil: precisávamos dos três pontos para atingir a Taça dos Campeões, pelo que não surpreendeu que os nossos adversários tivessem jogado desde o início para o empate. Perante estes dados, e após um breve período de estudo, não hesitamos em partir para cima da baliza contrária, pressionando alto e procurando o golo. Conseguimo-lo através do MC, a meio da primeira parte, mas não pudemos evitar o empate antes do intervalo.

A segunda metade não podia ter começado pior, já que a SBE fez o segundo tento, colocando-nos numa situação complicada. Soubemos, então, reagir a propósito, aumentando a pressão e a tendência atacante, que resultou em dois golos de JN. Agora, estávamos nós na Taça dos Campeões e era a vez do oponente passar a atacar mais, apesar de nós não recuarmos e termos até tido uma excelente oportunidade para dilatar a vantagem. Foi uma pena, porque logo a seguir, já dentro dos dois últimos minutos, a SBE conseguiu mesmo o empate, numa jogada de grande infelicidade para nós dado que a bola tabelou nas pernas do ZM antes de entrar. Ainda tivemos força para responder e quase chegamos ao 4-3 num lance em que o guarda-redes contrário fez falta merecedora de grande penalidade sobre o ZM. Logo depois terminou uma partida, que tendo sido disputada dentro da maior correcção (com excepção do jogador nº5 do SBE), terminou com um resultado extremamente injusto para as nossas cores. Assim é o futebol. Fica a certeza, porém, que saberemos ultrapassar esta fase complicada já no próximo encontro, o primeiro da segunda fase.



QUARTA JORNADA (7/05/02)


UPONOR, 1 - PORTUS 87, 6

Iniciamos a partida com OM,JN(2),MC(1),GC(2)e TZ.
Jogaram ainda: PP E HV (1)

No inicio deste jogo, sabiamos que era fundamental pontuar para ainda termos chances de apuramento, ou seja, batermos a SBE no derradeiro encontro do grupo B, no dia 11. Mas para isso era preciso ganhar ou pelo menos empatar contra a UPONOR.
Por isso, entramos decididos, contando desta feita com JN e MC, recuperados de problemas fisicos.
Contra o que se poderia esperar, o nosso oponente, apesar de prematuramente eliminado da Liga dos Campeoes, jogou com um empenhamento total, ultrapassando muitas vezes os limites da agressividade. Mesmo assim, adiantamo-nos no marcador relativamente cedo, obtendo dois golos na primeira parte - primeiro por MC aproveitando bem passe magistral de TZ e depois por GC no seguimento de um livre directo.
Perante alguma passividade da equipa de arbitragem tivemos que, na segunda parte, continuar a suportar o mau perder da UPONOR (porque seria ?) e ainda aproveitamos para marcar mais quatro golos (GC, JN -2- e HV), realizando boas jogadas - como a do terceiro golo - e demonstrando estarmos preparados para a finalissima do fim-de-semana.

TERCEIRA JORNADA (01/05/02)

PORTUS 87, 4 - BIAL, 5

Iniciamos a partida com OM, ZM, PP(1), TZ e GC(2).
Jogaram ainda: SM(1), AM, DT e HV

A sorte voltou a recusar estar com o PORTUS 87 neste renhido encontro. Sem podermos contar com o concurso de JN, com uma entorse, e de MC, com uma conjuntivite, tivemos o prazer de ter a jogar connosco o Paulo Peixoto, que fez, refira-se, uma excelente partida.
Voltamos a iniciar mal a partida, sofrendo um golo cedo, mas reagimos muito bem e fomos claramente superiores na fase final da primeira parte, altura em que nos adiantamos no marcador (3-2), com golos, todos eles muito bonitos, de PP, GC e SM. Destaque para este ultimo golo da jovem promessa, que arrancou do meio campo, com um drible estonteante e apenas parou com a bola na baliza do oponente.
Na segunda parte, a equipa teve muitas dificuldades em reagir ao pressing alto da BIAL, acabando por recuar e consentir que a arbitragem nos marcasse imensas faltas (algumas delas apenas existentes na mente dos juizes...) perigosas, incluindo duas grandes penalidades. Assim, vimo-nos a perder por 5-3 numa fase adiantada da partida.
Foi, nessa altura, forte a tentativa de virar o jogo. Ainda reduzimos para 4-5 (de penalty, por GC), mas fomos incapazes de chegar ao empate, embora tivessemos oportunidades para isso, com o PP por exemplo, a receber excelente passe de calcanhar te TZ, a tirar diversos oponentes do caminho e a rematar, com infelicidade, contra um jogador que se colocara em cima da linha de golo. Uma pena...

SEGUNDA JORNADA (27/04/02)

HOSPITAL C., 7 - PORTUS 87, 1

Iniciamos a partida com OM, ZM, JN, MC e GC.
Jogaram ainda: TZ (1) e HV

Fomos claramente batidos nesta jornada negra por uma equipa que actuou de forma inspirada e veloz.Isso que fique bem claro. Mas igualmente real foi um verdadeiro naipe de azares que rodeou o nosso jogo. Dois auto-golos, uma entorse que atirou JN para o banco ainda na primeira parte, uma incapacidade de resposta colectiva pouco habitual no PORTUS 87. De tal forma assim foi que sofremos uma goleada inaudita, um resultado negativo record na vida do clube.
Teremos agora que saber reagir com caracter e firmeza para ultrapassar esta noite desastrosa. Coisas que acontecem...
O apuramento para a segunda fase continua em aberto e os jogos que se seguem apresentam-se como fulcrais.

PRIMEIRA JORNADA (20/04/02)

PORTUS 87, 4 - ACRAV, 1

Iniciamos a partida com OM, ZM, JN (1), MC e TZ (2).
Jogaram ainda: GC e HV (1)

Foi um jogo muito mais equilibrado do que o resultado final pode aparentar. A ACRAV, formada por jogadores muito jovens, deu muita luta e praticou um bom futebol durante toda a partida, sendo igualmente de destacar o grande fair play demonstrado.
Entramos com cautela, jogando na expectativa. Os primeiros minutos foram dominados pela ACRAV, quase sempre com o nosso consentimento. Nessa altura, destacaram-se OM e ZM na defesa atenta da nossa baliza.
Depois desta fase de estudo, passamos a tomar conta da partida, acabando por ter diversas oportunidades para abrir o marcador ainda antes do intervalo, nomeadamente em remates perigosos de JN, que o poste e o guarda-redes da ACRAV devolveram.
O intervalo chegou com o nulo no placard, o que atesta do equilibrio registado.
Na segunda parte, mantivemos o ascendente acabando por inaugurar o marcador por TZ numa recarga oportuna a um remate de longe. Nesta fase o nosso ataque funcionou bem devido ao trabalho aturado de JN, GC e TZ, mas a ACRAV respondeu com um golo feliz no seguimento de um livre directo.
Soubemos, no entanto, reagir muito bem a esta adversidade, repondo a vantagem igualmente num livre, por JN.
Seguiu-se a nossa melhor fase, com MC e HV a destacarem-se em excelentes trocas de bola e jogadas de contra-ataque, que resultaram no terceiro golo, apontado por HV, depois um brilhante entendimento com a bola a passar por toda a equipa,respondendo o marcador a um primoroso passe de GC.
A seguir, a ACRAV teve uma boa atitude, empurrando-nos para a retaguarda, mas a valia da equipa fez-se sentir na defesa da vantagem adquirida e ainda houve tempo para mais um golo, da autoria do goleador da noite, TZ, concluindo com toda a classe um bom lance colectivo com um pequeno chapeu sobre o guarda-redes.
Em resumo, tratou-se de uma excelente partida do PORTUS 87, que demonstrou estar a viver bom momento de forma, perante um valoroso e correcto antagonista, que muito contribuiu para um interessante encontro.