Make your own free website on Tripod.com
Portus 87
JOGOS 2002/2003
Home
HP DE ÉP. ANTERIORES 
ÉPOCA 2002/03
JOGADORES 2001/03 
FOTOGRAFIAS
EUROPEAN TOUR 2003
CELEBRAÇÕES 15 ANOS
TORNEIOS 02/03
CIRCUITO DAS CIDADES
ÉPOCA 2001/02
HISTORIAL
COMENTÁRIOS
 
 

 

JOGOS DISPUTADOS EM 2002/03

(Chave para leitura)
.Nº do jogo; .Adversário; .Resultado .Local/data
.Jogadores
.Comentários

Plantel 2002/2003:


1. Orlando Mesquita (OM)
2. Mário Cunha (MC)
3. Helder Vieira (HV)
4. João Nuno Coelho (JN)
5. Zé Manel Lopes (ZM)
6. Manuel Maganete (MM)
7. António Azevedo (TZ)

8.  Gregório Coelho (GC)
9.  David Tavares (DT)
10. Sebastião Mota (ST)
11. Albino Moutinho (AM)
12. Rui Correia (RC)         13. Jorge Pópulo (JP)


Jogadores Convidados:

- Nuno Povoa (NP)
- Paulo Peixoto (PP)

- Vasco (V)

 

DESCRIÇÃO JOGO A JOGO

62 - ÚLTIMO PISO AS V. 3-2 6ª (última) jornada da MINI-LIGA
S. Mamede 31 Jul. 03
OM, ZM, JN(1), MM (2), HV, TZ, DT
Afinal o jogo decisivo da Liga ficou para a última jornada, na qual estávamos obrigados a conseguir pelo menos um empate para alcançar o primeiro lugar. E a verdade é que as coisas não podiam ter começado pior, com o adversário a chegar a 2-0 ainda antes dos 10 minutos de jogo. Foi um momento muito difícil para a equipa, que via a Taça a fugir por entre as mãos. Valeu aqui de novo a força anímica e o moral desta nossa equipa – reorganizou-se (neste particular o regresso de TZ foi fundamental) e pouco a pouco impôs o seu futebol de tabelas e triangulações, conseguindo dar a volta completa ao marcador antes do intervalo, graças à veia goleadora de MM e a um golo (o último da temporada...) dos mais belos jamais alcançados pelo PORTUS. Tão belo foi que merece descrição pormenorizada: a bola sai do guarda-redes Orlando para Zé Manel que a coloca na esquerda em Greg, este dá mais à frente em Tózé que passa a João que, na direita, espera pela diagonal rápida de Greg, faz tabela com este (fabuloso o pisar a bola de Greg que engana o guarda-redes e dois defesas com esta subtileza esplendorosa...) e João só tem que empurrar para a baliza deserta. Belo!
A segunda parte da partida acabou por ser de gestão do resultado pela nossa parte, com o momento alto a acontecer quando Orlando defende um penalty forte e colocado, dando maior tranquilidade à equipa para os minutos finais. E, claro, após o apito do árbitro foi a grande festa.
Vencemos assim a Liga Amizade com todo o mérito, até porque enfrentamos boas equipas. Desde já os parabéns a todos os participantes e esperemos que para o ano haja mais... e com novos grupos participantes.
Plantel PORTUS 87 nesta prova:
1.Orlando Mesquita (melhor guarda-redes da Liga)
3.Helder Vieira
4.João Nuno Coelho (melhor marcador da Liga)
5.José Lopes
6.Manuel Maganete
7.António Azevedo
8.Gregório Coelho
9.David Tavares
10.Sebas Mota
11.Nuno Póvoa



61 - COMO QUEIRAS (esp.) D. 0-7 Maratona Futsal de Foz (Galiza) 25 Jul. 03
HV, ZM, JN, MM, GC, JP
Já com reduzidíssimas hipóteses de apuramento (dado que estávamos dependentes de terceiros...) e com as últimas energias gastas no pressing alucinado da segunda parte do jogo que terminara 4 horas antes, entramos para esta partida na “reserva”. As coisas tornaram-se quase desastrosas com o “estouro” de JP e o agravamento da lesão de JN, incapaz de prosseguir. Na segunda parte foi então o descalabro, ainda que todos os heróicos “sobreviventes” tenham lutado até à exaustão, nunca virando a cara à luta contra uma forte e jovem equipa adversária. Saímos de cabeça erguida embora sofrendo uma derrota pesada, a que não estamos habituados. Mas foi, mesmo assim, uma grande demonstração de dignidade, combatividade, e de um grande coração, capaz de lutar contra as circunstâncias.
Como balanço da participação nesta Maratona, fica o grande prazer de jogar em Foz, onde somos sempre tão bem recebidos e passamos dias maravilhosos. Único reparo: temos que trazer mais jogadores...



60 - ZOOROPA (esp.) D. 3-5 Maratona Futsal de Foz (Galiza) 25 Jul. 03
HV, ZM, JN(1), MM(1), GC(1), JP
Depois de uma excelente noite de copos e de um almoço...pujante, lá nos apresentamos para aquele que sabíamos ser o encontro decisivo para o apuramento rumo aos quartos-de-final. O (já pouco) profissionalismo (fora do recinto de jogo) do PORTUS 87 perde-se completamente nestas viagens a Foz, pelo que não surpreendeu que os nossos adversários se adiantassem no marcador por diversas vezes com a nossa equipa sempre a lutar estoicamente para manter o jogo em aberto, fazendo o empate por duas vezes. Mas no início da segunda parte o cansaço veio ao de cima, obrigando JP a sentar-se definitivamente no banco, e deixamos o oponente fugir no marcador. Quando parecia tudo decidido, o PORTUS 87 voltou a mostrar que é um caso à parte de garra e foi para cima dos zooropas e assustou-os fortemente tal foi a marcação cerrada homem a homem em todo o campo. Nesta altura apenas por azar (golos falhados e defendidos) e uma arbitragem caseira (que penalty claro sonegado!) impediram que a história fosse outra.



59 - AS BRASAS (esp.) V. 2-1 Maratona Futsal de Foz (Galiza)
25 Jul. 03
HV, ZM, JN(2), MM, GC, JP
No regresso a Foz, jogamos o nosso primeiro jogo da Maratona pela 1 da manhã, depois uma viagem de 4 horas e de umas cervejas/tapas fantásticas. Ainda um pouco abalados com a ausência da baliza do nosso Orlando ( com uma gastrite), começamos mal, como quase sempre, e tivemos que dar depois a volta ao jogo e ao resultado, contra um adversário muito jovem (com o qual havíamos empatado no ano passado). Fomos inteligentes, e depois de fazer o segundo golo, ainda acentuamos a postura de contra-ataque, sofrendo muito para manter a vitória até final. Magnífico ambiente no recinto de jogo e enorme felicidade para nós ao conseguirmos a primeira vitória num jogo deste exigente torneio, cujo o prémio para o vencedor é de 1200 euros.



58 - VIRTUAL AS V. 5-1 5ª jornada da MINI-LIGA S. Mamede 22 Jul. 03
OM, ZM, JN(4), MM, HV, SM (1), TZ
Naquele que era à partida o jogo que podia decidir o vencedor da Liga - se o nosso adversário vencesse era desde logo campeão – demos a melhor resposta às dúvidas que se haviam instalado na partida com a JOAMAR. Actuando com uma garra e uma concentração verdadeiramente extraordinárias, soubemos ainda dar a volta à desvantagem inicial no marcador. Foi uma demonstração fantástica de vontade e querer do PORTUS 87 com uma actuação que entra directamente para o top das melhores da época. Apesar do acerto colectivo quase total, não se pode deixar de destacar os quatro golos do “capitão” JN.



57 - JOAMAR D. 1-2 4ª jornada da MINI-LIGA S. Mamede
17 Jul. 03
OM, ZM, JN, MM (1), GC, HV, SM
Um início de jogo do PORTUS 87 mau demais para ser verdade – entramos completamente a dormir, acabou por ser fatal para a equipa, que aos 7 minutos já perdia por 0-2. Até ao intervalo não conseguimos sair da estranha letargia enquanto os adversários jogavam um futebol rápido e inteligente. A segunda metade foi completamente diferente, fruto de uma mudança de atitude impressionante da nossa equipa. “Massacramos” a baliza contrária, jogando bem e rematando muito, mas não fomos felizes, até porque encontramos um guarda-redes contrário em noite sim. Não foi possível chegar ao empate mas deixamos uma outra imagem, saindo da partida com a dignidade habitual de quem luta até à exaustão.



56 - ÚLTIMO PISO V. 3-1 3ª jornada da MINI-LIGA S. Mamede
10 Jul. 03
OM, ZM, GC, MM (2), HV, SM, NP (1)
Mais uma partida disputada num ritmo muito vivo, que foi aliás característico dos encontros da Liga Amizade. Apesar disso até ao intervalo apenas se registou um golo, a nosso favor, fruto das muitas oportunidades perdidas e da boa actuação dos dois guarda-redes. Na segunda parte, o jogo abriu mais e depois do golo do empate, o PORTUS embalou para uma vitória justa, fruto de um maior querer (e qualidade técnica) dos seus jogadores.



55 - VIRTUAL AS E. 1-1 2ª jornada da MINI-LIGA S. Mamede
3 Jul. 03
OM, ZM, MM (1), HV, SM, JN
Um jogo extremamente competitivo, rijamente disputado, dada a qualidade das equipas mas também um historial anterior de alguma rivalidade. Acusamos o cansaço natural em quem joga a quarta partida numa semana, mas ainda assim mantivemos altos níveis de concentração e empenhamento, que nos permitiram marcar primeiro, embora decorresse já a segunda parte do encontro. Depois, o adversário reagiu forte e obrigou-nos a defender o resultado, que acabou por nos ser fatal, até porque as pernas já não obedeciam da forma desejada. Enfim, o marcador acabou por ser justo num bom jogo de futsal.



54 - JOAMAR V. 5-0 1ª jornada da MINI-LIGA S. Mamede 1 Jul. 03
OM, ZM, JN(2), MM (1), HV, SM (2)
Este jogo provou que o PORTUS 87 está em grande forma, atingindo neste momento um nível de maturidade no seu jogo verdadeiramente notável. Apesar do cansaço provocado pela deslocação do último domingo e pelos muito jogos que temos realizado nos últimos dias, mantivemos um grau de concentração muito elevado e soubemos sempre controlar as operações. Isto contra uma boa equipa, que já nos venceu por mais de uma vez. Cada um de nós parece ter cada vez mais noção do que tem que fazer em campo, sendo que a capacidade de circular a bola com muito apropósito e critério é a pedra de toque para este bom jogo colectivo que temos vindo a apresentar. Apesar da defesa ter estado intransponível (como demonstra o marcador), desta vez seria injusto fazer destaques individuais dado o equilíbrio global da equipa ser a nota de verdadeiro destaque. Agora, há que não permitir que a confiança (aspecto fundamental da presente boa forma) se transforme em sobranceria e encarar cada jogo com a mesma sobriedade e prazer, como temos vindo a fazer.



53 - Bad Boys F.C V. 8-6
OM (RC, ao intervalo); HV, ZM (1), GC, JN(3), MM (4)
Disputada num ringue extremamente escorregadio e perigoso(ainda não sei como nos conseguíamos manter em pé, quanto mais jogar à bola), esta partida valeu acima de tudo por nos dar a conhecer uma nova equipa, formada por jogadores dotados de boa técnica e extremamente desportivistas. Esperemos que outras oportunidades surjam para nos defrontarmos, e desta feita em terrenos mais secos...
Quanto ao jogo em si, ainda que muito condicionado pela situação do piso, foi bastante renhido e acabou por ser decidido para o nosso lado graças a uma maior maturidade do PORTUS 87, que esteve sempre no comando do marcador, superando assim uma maior adaptação (natural) dos nossos jovens adversários ao recinto de jogo.



52 - Unidos do Zambujal V. 8-6 S. Domingos de Rana (Lisboa)
29Jun. 03
OM, ZM (1), GC (1), JN(3), MM (3), HV(1)
0-3, 3-4, 4-4, 6-4, 6-5, 7-5, 7-6, 8-6
Não é todos os dias que temos a felicidade de poder jogar encontros destes. Incluído nas comemorações do S. Pedro desta simpática colectividade, este jogo, ainda que contando com a surpreendente presença da chuva, foi muito bem disputado, sempre dominando o desportivismo e a correcção absolutas. Prova provada de que é possível competir como empenho sem ter que se cair em comportamentos agressivos - e valha a verdade que jogar com amigos faz toda a diferença. Falta dizer que o PORTUS 87 fez uma exibição ao nível do melhor que tem feito nesta temporada, adaptando-se bem ao ringue molhado, recuperando com um denodo notável da desvantagem inicial e demonstrando depois uma maturidade assinalável para manter a vantagem. Dos nossos adversários e amigos Unidos está tudo dito: são pessoas fantásticas, têm uma grande equipa de futsal e vão ter com certeza alcançar todo o sucesso a curto prazo. Bem o merecem!!!



51 - Equipa do Luís V. 8-3 S. Mamede 016 Jun. 03 (seg.)
HV (1), ZM (1), TZ(1), JN(1), MM (4), DT (1)
0-1, 6-1, 6-2, 7-2, 7-3, 8-3
Continuamos na senda dos bons resultados e exibições, colocando em prática alguns dos aspectos que temos conversado entre nós, obre a forma como devemos jogar. Desta feita, por exemplo, tivemos a capacidade de evitar a precipitação para o ataque após sofrermos o primeiro golo da partida, como muitas vezes acontece. A tranquilidade demonstrada deu depois os seus frutos com os golos a surgiram com naturailidade, na sequência de uma boa circulação de bola e de um indíce muito aceitável de concretização. Na parte final da partida, baixamos um pouco de produção, para o que contribuiu também a acção da equipa adversária, que se bateu bem, apresentando uma boa técnica e enorme correcção. Um bom jogo, sem dúvida a repetir.



50 - Atlético de Guifões V. 4-0 Srª da Hora 09 Jun. 03 (seg.)
RC, HV (1), ZM (2), TZ, NP, JN(1)
Mantivemos os elevados níveis de concentração (principalmente a defender) que havíamos apresentado dois dias antes, embora com menos brilhantismo no ataque e na circulação de bola - para o que contribuiram também algumas dificuldades de adaptação ao piso rapídissimo do pavilhão. Com um guarda-redes em estado de graça (Rui Correia) e um "central" intransponível e que ainda ia lá à frente fazer golos (ZM), sempre bem apoiados pelos restantes jogadores a tapar os caminhos para a baliza, acabamos por enervar os nossos adversários. Depois, o resto foi natural: apesar de muitos golos falhados, fomos desenvolvendo bons contra-ataque que acabaram por decidir o jogo, para o que contribuiu também uma progressiva adaptação às condições do piso.



49 - ARC Espariz V. 6-5 S.Mamede 07 Jun. 03 (sáb.)
RC, HV, ZM (1), TZ, GC, JN(3),MM(2)
3-0, 3-4, 5-4, 5-5, 6-5
Grande partida de futsal, jogada sempre a enorme volocidade e com uma correcção assinalável. Perante uma equipa muito jovem e que tem evoluído de forma assinalável, realizamos uma primeira parte ao nosso melhor nível apenas falhando na concretização (1-0). No início da segunda etapa, colmatamos esse problema com mais dois golos, chegando ao 3-0. A ARCE reagiu então com enorme energia, virando o resultado e, parecendo os seus jogadortes mais frescos, deu a ideia de terem tudo para ganhar a partida. Apenas a terrível garra do PORTUS87 evitou esse desfecho, com o golo da vitória a surgir no último minuto da partida, após entendimento rápido entre GC e JN. Numa exibição colectiva de grande qualidade, destaque para a prestação notável de Rui Correia na nossa baliza. Finalmente, os parabéns para os nossos amigos de Espariz que sabem conciliar uma grande capacidade de luta com o necessário espírito de fair-play. Assim o futsal vale a pena!



48 - Amigos de Lordelo D. 7-11 S.Mamede 03 Jun. 03 (ter.)
HV, ZM, JN(4), TZ(1), MC, MM(1) e NP (1)
Após um óptimo início (2-0), caímos no erro já habitual de quer continuar a fazer as despesas do jogo, actuando, como quase sempre, de forma ingénua. Isto contra uma belíssima equipa, muito rotinada (basta dizer que jogam na II Divisão do Porto), que naturalmente aproveitou para dar a volta ao encontro, vencendo sem qualquer margem de contestação.Mais uma lição para o PORTUS 87, que só não aprende se não quiser...



47 - JOAMAR V. 6-3 S.Mamede 27 Maio 03 (ter.)
OM, ZM, DT(2), TZ(1), HV, MM(2)
O regresso às vitórias, com uma boa exibição, num excelente jogo de futsal, com uma equipa que continua a evoluir de forma assinalável.



46 - Sob. Orl. D. 1-6 S.Mamede 20 Maio 03 (ter.)
OM, ZM, DT(1), TZ, HV, MM
Sem explicação (nem o cansaço nem as ausências!), estivemos mesmo mal, sem tirar mérito ao adversário, com excelentes individualidades...



45 - Under41 V. 2-1 Coimbra 17 Maio 03 (sab.)
OM, ZM, JN(2), TZ, HV, GC, MM
Mais uma Grande Final, um derby disputadíssimo, muito táctico, em que Portus87 levou a melhor merecidamente, com dois golos do Capitão!


44 - Grupo do Destino V. 6-0 Coimbra 17 Maio 03 (sab.)
OM, ZM, JN, TZ(2) , HV (1), GC (1), MM (2)
Apesar de o resultado foi um jogo dificil, dado o empenho e a estratégia montada pelos nossos adversários (que já nos começam a conhecer!) e que tem tido uma evolução muito positiva... o problema é que o Portus87 queria mesmo ir à Final


43 - FUTCAMPOSCOSTA V. 12-6 MAIA (MyIndoor) 8 Maio 03 (qui.)
OM, ZM, JN (4), TZ , HV (3), SM (4), MM (1)
0-1, 1-1, 1-2, 3-2, 3-3, 8-3, 8-4, 10-4, 10-6, 12-6
A oportunidade de nos redimirmos da derrota da última terça feira surgiu rapidamente: jogando num piso pouco habitual para nós (relva sintética), vencemos bem uma equipa que denota bastante organização. Não começamos bem, no entanto, o que já se tornou um hábito. Tivemos tendência para complicar, abusando de um jogo demasiado aos repelões e com pouca certeza no passe. Mas, depois de conseguirmos "assentar a poeira", engrenamos para uma boa exibição, pejada de entendimentos interessantes, e para muitos e bons golos. No fim do jogo, talvez resultado de alguma confiança a mais, voltamos a perder um pouco o rumo mas nessa altura já tudo estava mais do que decidido.


42 - JOAMAR D. 3-6 S. Mamede 6 Maio 03 (ter)
OM, ZM (1) JN (1), TZ (1), HV, MC
1-0, 1-3, 3-3, 3-6
Se há jogo em que tudo corre mal, foi este. Perante uma equipa cada vez mais bem organizada e especialista no contra-ataque, fomos precipitados e pouco esclarecidos no nosso jogo, entrando muito cedo numa toada pressionante dado o resultado adverso (1-3). Ainda conseguimos recuperar uma primeira vez, mas a falta de sorte (materializada por exemplo em dois auto-golos) e uma frustrante incapacidade de marcar golos (algumas oportunidades foram de "baliza aberta"), redundaram num resultado final esclarecedor. Parabéns aos adversários, que estiveram muito bem. Para nós, fica a necessidade de rápida redenção...


41 - Hugo E. 6-6 S. Mamede 22 Ab. 03 (ter)
HV (1), JN (1), DT (2), SM(2), MC
1-0, 1-1, 2-1, 3-2, 3-4, 4-4, 4-5, 5-5, 5-6, 6-6
Poucas horas depois do regresso da digressão, o PORTUS voltou à acção, sendo que, dos jogadores-viajantes, apenas o "capitão" pôde estar presente (vantagens de ter sido um dos primeiros a ser "entregue" em casa...) neste jogo frenético. Foi realmente uma partida alucinante, disputada a um ritmo espectacular, ainda mais se considerarmos que apenas estavam presentes 10 jogadores. Muita alternância no marcador e emoção a rodos numa partida sem "travões".


40- SCHERPSCHUTTERS (BEL.) 4-0 Zelem (Bélgica), 20 Ab. 03 (dom.)
Torneio Dynamic Euro Cup - Final da Competição Plate
OM, JN, GC, TZ (2), MM (2), ZM, PP
Após um intervalo aproveitado para comer e beber as muito famosas e tantas vezes anunciadas e faladas sandes do Dirk souberam pela vida lá chegou a hora aguardada da final. Tivemos pena de não enfrentar os ingleses do Temple Villa London com quem simpatizávamos, mas tínhamos muita vontade de vencer estes belgas dos Shutters, que haviam vencido imerecidamente os referidos londrinos.
Nesta final, ficou provado que desta vez soubéramos aprender a lição: há que adaptar a estratégia a cada adversário. E foi o que fizemos, jogando com paciência e inteligência, desferindo golpes certeiros nos momentos correctos. Demonstramos em campo que éramos superiores a esta equipa e nem a lei do não me toques nos conseguiu vencer.
Quando já vencíamos por 2-0 (e depois de nos anularem mais um golo de forma ridícula) o melhor jogador adversário magoou-se, o que nos facilitou a vida e fez o marcador subir aos 4-0. A taça era nossa!


39- 2 VINGERS ENSCHEDE A (HOL.) 2-1 Zelem (Bélgica), 20 Ab. 03 (dom.)
Torneio Dynamic Euro Cup - 1/2 final da Competição Plate
OM, JN (1), GC, TZ, MM (1), ZM, PP
Este foi se calhar o jogo crucial para a nossa vitória no torneio PLATE. Enfrentamos uma equipa que enganava muito, bem mais organizada e perigosa do que parecia à primeira vista. Tal como acontecera no jogo anterior, entramos muito bem, com a bola a ser trocada magnificamente entre todos, sabendo esperar pelo momento certo para atacar. Assim fizemos dois golos e podíamos ter feito ainda mais. Mas de novo teríamos que saber sofrer, já que os adversários, em desespero de causa, decidiram pressionar em cima. Isso levantou-nos grandes dificuldades e depois de sofrermos um primeiro golo estivémos à beira de consentir o empate. Mas então o nosso guarda-redes de luxo, o Orlando assumiu-se como herói, defendendo um penalty, já perto do final. E assim alcançamos o jogo decisivo...


38- ZVK WIMBLEDON (BEL.) V. 4-0 Zelem (Bélgica), 20 Ab. 03 (dom.)
Torneio Dynamic Euro Cup - 1/4 final da Competição Plate
OM, JN, GC (2), TZ, MM (1), ZM (1), PP
Não foi difícil vencer este jogo, o mais complicado foi não ser expulso do torneio. A equipa tentou circular melhor a bola, temporizar o suficiente cá atrás para permitir as desmarcações e na verdade durante alguns minutos jogamos bom futebol. Os golos surgiram então com naturalidade e apesar da nossa qualidade de jogo ter diminuído um pouco na parte final foi uma vitória imaculada. A arbitragem deste jogo foi ainda assim talvez a pior de todas: quase patética de tão preocupada em punir a mínima carga de ombro. Este tipo de excesso de zelo e de civilidade a gente dispensa...Como comentou o Helder à posteriori ao saber do acontecido: até é de estranhar que a bola fosse redonda...!


37- NOVENTA Y QUATRO D. O-2 Zelem (Bélgica), 19 Ab. 03 (sab.)
Torneio Dynamic Euro Cup - 1º fase
OM, JN, GC, TZ, MM, ZM, PP
Mais uma paragem de 60 minutos, que serviu para ver mais jogos, falar entre nós e com o Dirk, antecedeu o jogo decisivo para o apuramento no grupo C. Tendo o Dynamic vencido o 94, bastava o empate para conseguirmos a qualificação para a competição CUP. Devíamos ter levado isso mais em linha de conta e delineado uma estratégia de contenção para este jogo, mas como é típico do Portus quisemos jogar o jogo pelo jogo. Ora com as regras extremamente limitadoras que regiam os encontros acabámos por ser vítimas de nós próprios: sofremos um golo cedo e depois andamos sempre atrás do prejuízo, com a equipa adversária a gerir (a maior parte das vezes de forma pouco simpática) a sua vantagem, que acabou por aumentar para dois golos.
Foi um jogo amargo para nós, com pouca clarividência e raras oportunidades de chegar ao golo. Ainda por cima, não conseguimos esconder alguma revolta pela impossibilidade de jogar com mais empenho físico: de certa forma este tipo de futebol sem contacto físico é a própria negação da essência do jogo a luta e virilidade. É afinal de contas a vitória da chachada do politicamente correcto também no futebol...


36- FC DYNAMIC (BEL.) D. 1-2 Zelem (Bélgica), 19 Ab. 03 (sab.)
Torneio Dynamic Euro Cup - 1º fase
OM, JN, GC , TZ, MM (1), ZM, PP
Depois de uma paragem de 60 minutos (em que se disputaram mais 3 jogos do torneio), que não sendo benéfica para nenhuma equipa era particularmente perniciosa para nós, que já tínhamos tantos jogos nas pernas, além de milhares de Kms, voltamos a entrar em campo para enfrentar a equipa da casa.
As coisas começaram por nos correr muito mal: primeiro, porque quando foi necessário jogar com um pouco mais de entusiasmo logo o árbitro nos informou que não era admitido o contacto físico e muito menos sliding; segundo, porque a arbitragem foi descaradamente caseira (um penalty incluído...); terceiro, e neste caso por culpa nossa, entramos demasiado temerosos e sofremos dois golos nos primeiros dez minutos.


35- ALL STARS (BEL.) V. 5-0 Zelem (Bélgica), 19 Ab. 03 (sab.)
Torneio Dynamic Euro Cup - 1º fase
OM, JN (2), GC (1), TZ, MM, ZM, PP (2)
Entramos bastante bem no torneio, embora a equipa adversária não fosse de molde a oferecer grande resistência. Mas dado tratar-se do primeiro jogo, ainda para mais de um torneio, não estivemos mal, embora falhando no aspecto da concretização como habitual.
34- Selecção Hol. (De WAARD + GALAXY PROTONS) V. 5-3 Amstelveen (Holanda), 18 Ab. 03 (sex.)
OM, JN (2), GC, TZ (2), MM, ZM, PP
No final do torneio, os nossos amigos holandeses decidiram tentar uma última solução para nos vencer: fazer uma selecção dos elementos das duas equipas e jogar contra nós. Estiveram perto do sucesso chegando ao 3-1, mas fazendo das tripas coração e do cansaço força lá demos a volta e ganhamos 4-3 no "golo dourado".


33- De WAARD (Hol.) V. 5-3 Amstelveen (Holanda), 18 Ab. 03 (sex.) -
Mini-Torneio Galaxy Protons Challenge
OM, JN (2), GC (1), TZ, MM, ZM, PP (2)
No nosso último jogo do torneio as pernas começavam a fraquejar um pouco, e tendo também em conta os resultados, as equipas começaram a arriscar mais o que conduziu a muitos golos e menos qualidade de jogo. Mesmo assim, fomos bem superiores e o marcador demonstra-o assim como a classificação final do torneio, no qual ~contamos por vitórias os jogos disputados.


32- GALAXY PROTONS (Hol.) V. 4-2 Amstelveen (Holanda), 18 Ab. 03 (sex.) - Mini-Torneio Galaxy Protons Challenge
OM, JN (2), GC, TZ, MM, ZM, PP (2)
As primeiras dificuldades sérias neste torneio surgiram ao terceiro jogo, com os adversários a adiantarem-se no marcador. Mas tivémos a calma necessária para melhorar a circulação de bola e atacar com mais critério e não demorou que conseguíssemos dar a volta ao marcador.


31 - De WAARD (Hol.) V. 5-1 Amstelveen (Holanda), 18 Ab. 03 (sex.) - Mini-Torneio Galaxy Protons Challenge
OM, JN (2), GC, TZ, MM (2), ZM, PP (1)
Habituados a não começar bem, neste segundo jogo do torneio começamos a "atinar" com a baliza contrária desde bem cedo. As bolas forma entrando e o nível de jogo melhorou bastante, assim como a circulação da bola. Foi claramente a nossa melhor partida da tarde...


30- GALAXY PROTONS (Hol.) V. 1-0 Amstelveen (Holanda), 18 Ab. 03 (sex.) - Mini-Torneio Galaxy Protons Challenge
OM, JN (1), GC, TZ, MM, ZM, PP
Neste primeiro jogo do torneio (constituído por partidas de 15 minutos, sendo que as equipas jogavam todas contra todas, em duas mãos) começamos a dominar o jgo desde o início, com a habitual pressa de chegar à frente a trair-nos depois na hora do remate. Apenas concretizamos por uma vez, mas a vitória foi perfeitamente incontestável.


29 - NVC NAARDEN (Hol.) V. 8-3 Hilversum (Holanda), 17 Ab. 03 (qui.)
OM, JN, GC, TZ (1), MM (2), ZM (1), PP (3)
O encontro teve a duração de 60 minutos (20+20+20) e foi arbitrado pelo treinador do NVC, que logo nos disse que aplicaria a regra do "no physical contact". Neste caso, não se tratou de um problema para nós já que apesar do cansaço (com implicações nítidas ao nível da lucidez e clarividência de jogo, o que resultou em incontáveis golos falhados) controlamos a partida e ganhamos com alguma clareza. Os adversários, equipados "à Lázio" (um bom augúrio para nós...), tinham todos uma boa estampa física, e bateram-se muito bem, denotando também enorme correcção e desportivismo.


28 - NOVELENSE D. 5-11 Penafiel (Pav. Fernanda Ribeiro), 1 Ab. 03 (ter.)
OM, TZ (1), JN, ZM, MM, HV, GC (2), SM (2)
Antes de tudo, merece absoluto realce o regresso do Zé Manel em jogos "a sério", depois de recuperar magnificamente da complicada lesão que sofreu. Sê bem-vindo Zé! Quanto ao jogo-treino, foi longo e intenso, já que durante 1h.45m enfrentamos uma valorosa equipa caracterizada pelos seus movimentos muito rápidos e coordenados em que o conjunto se impõe, acabando por marcar uma superioridade clara sobre o PORTUS. Seja como for, estes treinos são sempre uma bela lição para nós e só temos que saber aproveitar estas oportunidades para aprender. Naturalmente, a recuperação física ainda em curso de alguns dos nossos elementos também não ajudou muito, mas ficamos com a sensação de que podemos fazer mais e melhor.


27 - HENIZE V. 11-6 Indoor Soccer Maia, 25 Mar. 03 (qua.)
RC, MM (3), NP(4), GC (3), HV(1), DT
0-1, 3-1, 3-2, 5-2, 5-3, 7-3
Bela partida do PORTUS 87 numa superfície (relva sintética) nova para a equipa. Esta particularidade bem como as dimensões reduzidas do recinto contribuiram para as dificuldades iniciais sentidas mas depois tudo seria ultrapassado por uma exibição convincente e plena de capacidade de luta e de empenhamento. Destaque para a profícua acção do convidado Nuno Póvoa e para a versatilidade do Greg, sempre a atacar e a defender com igual inspiração e denodo. Quanto ao adversário, apesar de algumas baixas, demonstrou o seu enorme valor e a razão de até ao momento nunca ter conhecido a derrota no Campeonato Inter-freguesias da Maia.


26 - TIAGO V. 7-3 S. Mamede, 11 Mar. 03 (ter.)
OM, TZ (1), JN (3), MM (3), HV, DT
0-1, 3-1, 3-2, 5-2, 5-3, 7-3
Falta de inspiração individual e desacerto na hora da finalização caracterizaram o nosso jogo que, em termos colectivos, foi razoável, com algumas combinações de ataque bastante interessantes.


25 - UNIDOS DO ZAMBUJAL (Lisboa) E. 4-4 S. Mamede, 2 Mar. 03
OM, GM (1), JN (3), TZ, MM, HV, SM
1-0, 1-1, 1-2, 2-2, 2-4, 4-4
Aí está um jogo que prometia muito e que ainda acabou por exceder as melhores expectativas: o pavilhão repleto com um público entusiasta (na sua maioria acompanhando os nossos simpáticos adversários lisboetas, mas estando também presente a aguerrida claque do PORTUS), duas equipas apenas interessadas em jogar e uma arbitragem excelente. Iniciámos o jogo com grande tranquilidade e a bom nível, jogando sempre apoiados, respondendo o Unidos com a admirável capacidade técnica de muitos dos seus jovens jogadores. A partida conheceu um ritmo trepidante, com momentos de enorme emoção, mormente na sua parte final, quando encetámos recuperação notável, que conduziu a um empate plenamente justo. Enfim, uma tarde de óptimo futsal, sempre pautada pela correcção e desportivismo a toda a prova.


24 - JOAMAR V. 4-3 S. Mamede 25 Fev. 03 (ter)
OM, SM, DT(1), TZ(1), MM (2)
2-0, 2-2, 4-2, 4-3
Num jogo marcado novamente pela escassez de "recursos humanos", grande resposta dos "sobreviventes", perante uma equipa sempre em renovação, dada a enorme quantidade de jogadores presentes. Um começo muito forte do PORTUS, que, naturalmente, não conseguiu manter o ritmo. Depois apareceu a típica garra da equipa para preservar o resultado e mais um saboroso triunfo.


23- Hugo V. 4-3 S. Mamede 11 Fev. 03 (ter)
OM, HV, DT , TZ(2), MM (2)
2-0, 2-1, 4-1, 4-3
Bom jogo e regresso às vitórias, o que é importante, com o Orlando e o Tozé a brilharem...A equipa deu uma demonstração de enorme querer num momento que não era fácil, dadas as muitas ausências e as derrotas recentes.


22 HENIZE D. 4-6 S. Mamede 04 Fev. 03 (ter.)
OM, JN (2), MM(2), TZ, HV, SM, MC
1-0, 1-1, 1-2, 2-2, 2-3, 3-3, 3-5, 4-5, 4-6
Este é daqueles jogos que vale a pena jogar: alto ritmo, muita competitividade, ausência de faltas e paragens desnecessárias. Neste encontro de estreia contra uma excelente equipa de futsal, entramos da melhor forma e tivémos várias oportunidades de ganhar maior vantagem no marcador. Não o fizémos e depois o equilíbrio foi a nota dominante, com o adversário a tomar definitivamente a dianteira do marcador a menos de cinco minutos do fim do jogo (4-3). A partir daí arriscamos tudo e sucederam-se os golos. Acima de tudo, ficou a certeza de que realizamos um bom jogo e que tudo indica que encontramos aqui um adversário para defrontar mais vezes, já que a correcção e o desportivismo imperaram do início ao fim da partida.


21 JOAMAR D. 6-7 S. Mamede 28 Jan. 03 (ter.)
OM, JN (3), MM(2), TZ, DT (1)
1-0, 1-1, 2-1, 2-3, 5-3, 5-6, 6-6, 6-7
Três auto-golos e o cansaço do torneio do fim de semana de uma equipa cheia de "baixas" não explicam esta derrota, já que muito mérito deve ser atribuído à equipa adversária, que soube jogar para ganhar. O resto fica por conta da nossa desconcentração e de uma desinspiração quase total, apesar do desesperado e valoroso esforço final. Mas há dias assim e temos que aproveitar para reflectir e evitar que se repita.


20- UNDER-41 V. 4-2 Circuito das Cidades - COVILHÃ (FINAL)
25 Jan. 03 (sab.)
OM, JN, MM(4), TZ, GC, DT
0-2, 4-2
Numa partida duramente disputada, pudemos devolver a derrota que havíamos sofrido perante os UNDER-41, na etapa do Porto, em Outubro. Mas não foi nada fácil, dado que o adversário se apresentou a bom nível e soube sair a ganhar, após termos perdido as primeiras oportunidades do jogo. A perder por 0-2 ao intervalo, foi então altura de uma reacção à PORTUS 87, plena de garra e capacidade de luta, que deu a volta ao marcador. Valeu também a inspiração do Manel, que voltou em boa hora às suas tardes de glória e golos. Uma palavra ainda para o grande Peixoto que sofreu dolorosa lesão (numa unha do pé): um grande abraço e votos de recuperação rápida, que isto só não acontece a quem não joga à bola!!!


19- FAIXA DE GAZE V.10-1 Circuito das Cidades - COVILHÃ (1/2 FINAL)
25 Jan. 03 (sab.)
OM, JN(2), MM(3), TZ(3), GC(2), DT

Boa entrada no mini-torneio, com muitos golos e algumas boas jogadas. O adversário fez o que pôde, batendo-se com galhardia, num terreno um pouco escorregadio e com a temperatura ambiente bem mais quente do que seria de esperar nesta zona...


18- TIAGO E. 4-4 S. Mamede 21 Jan. 03 (ter)
OM, JN(1), MM(1), TZ(1), DT(1), M
0-1, 1-1, 1-2, 1-3, 2-3, 2-4, 4-4
Jogo muito disputado e equilibrado, com uma excelente equipa, que nos obrigou a mais um esforço desesperado de recuperação do resultado, o que já começa a ser habitual...O esforço suplementar do fim de semana passado (e a perspectiva do próximo...) também estiveram bem presentes.


17- ARC ESPARIZ V. 7-3 Tábua 18 Jan. 03 (sáb.)
OM, HV, JN(2), GC(2), TZ, DT(1), NP(2)
0-1, 1-1, 2-1, 2-2, 6-2, 6-3, 7-3
Depois de uma "falsa partida" devido ao piso escorregadio do pavilhão de Espariz, e de uma breve viagem até Tábua, re-iniciamos uma partida com o ARCE que foi quase sempre muito equilibrada e rijamente disputada. Na primeira parte (que terminou com empate a duas bolas) não soubemos lidar com o jogo rápido dos jovens adversários, mas no segundo período veio ao de cima a nossa superior experiência e a muita garra que caracteriza o PORTUS 87. Apesar das contrariedades (lesão do Helder e doença do Nuno) alcançamos um importante triunfo a que se juntou o prazer de termos feito novos amigos, que logo após a partida nos ofereceram um saboroso repasto. Para eles, um grande abraço, desejos de boa sorte no seu campeonato e ficamos à espera da sua visita...


16- Hugo V. 6-3 S. Mamede 7 Jan. 03 (ter)
OM, HV (3), JN(1), TZ(1), MM (1)
0-1, 1-1, 1-2, 2-2, 2-3, 3-3, 6-3
Bom jogo (o 1º do ano), com o Portus87 a entrar mal no jogo e a ter que andar sempre atrás do resultado. As coisas não estavam a sair bem... Mas após o 3-3, e com muita perseverança (imagem de marca!), acabamos por impor a nossa força, terminando em grande, com um bonito golo, resultado de uma jogada ao "1º toque" (como deve ser...) e finalizada pelo nosso goleador - João. Por falar em golos, realce para o excelente hat-trick do oportuníssimo Hélder.


15- Travassô.net V. 7-1 Travassô (Águeda) 28 Dez. 02 (sáb)
OM, HV (1), JN(1), TZ(2), GC(1), MM (2), JP - treinador: ZM
1-0, 1-1, 7-1
O encontro foi marcado por um ritmo vivo imposto pelas duas equipas, que jogaram sempre com muita entrega e determinação mas com enorme correcção e fair-play. Acabamos por ser mais fortes na segunda parte, justificando o triunfo (7-1), depois de ao intervalo se registar empate a uma bola. Destaque individual para TóZé, a jogar (e a marcar...) e fazer jogar. Uma palavra final para o Zè Manel, que se iniciou nas suas funções (desejamos que muito breves...) de "mister" com uma vitória!


14- TIAGO V. 4-3 S. Mamede 10 Dez.02 (TER.)
OM, HV (1), JN(1), TZ (1), ZM, DT, MM (1)
Depois do vendaval de golos do sábado anterior, a bola parecia não querer entrar na baliza do adversário, que ainda por cima demonstrou enorme qualidade de jogo. E a verdade é que a oito minutos do fim a partida parecia irremediavelmente perdida (1-3), apesar dos nossos esforços quase desesperados. No entanto, a garra típica dos Portus deu os seus frutos quando menos se esperava e alcançamos saborosa vitória (4-3), com o golo da vitória (muito bonito por sinal) a ser alcançado pelo Helder...com o pé direito! Preocupante foi a lesão sofrida pelo Zé Manel nos últimos segundos do jogo. Esperemos que não seja grave e...FORÇA GRANDE ZÉ!


13- PIÕES DE TALAÍDE V. 19-2 S. Mamede 7 Dez.02 (sab.)
OM, HV (4), JN(4), TZ (1), ZM(3), GC (2), MM (5) e DT(cameraman)
Afinal o nº 13 dá sorte, excelente exibição de todo o plantel, foi um daqueles dias que TODOS jogamos individualmente e colectivamente bem...e tudo saiu bem... e ainda por cima gravamos em vídeo para ficar para a história (David é um verdadeiro polivalente, agora no papel de cameraman!). De salientar ainda que vinhamos imbuídos do espirito do Portus87, uma vez que antes estivemos a gravar o Hino...
Registo final para a atitude meritória dos "Piões" que apesar do avolumar do resultado procuraram sempre lutar contra a corrente.


12- JOAMAR V. 15-1 S. Mamede 26 Nov.02 (ter.)
OM, HV (3), JN(2), TZ (3), ZM(2) e DT (5)
Alguém tinha que "pagar a factura" do nosso jogo anterior...Fizémos uma partida brilhante, plena de jogo de equipa, desmarcações e tabelas constantes. O resultado é elucidativo, e este encontro deverá servir de inspiração e modelo para o futuro mais próximo. O David esteve "letal" e o Tozé no seu regresso à posição de "pivot" deu um show de mestria na função.


11- Amigos de Lordelo D. 2-8 Pav. Carolina 21 Nov.02 (qui.)
OM, HV, JN(1), TZ, MM(1) e DT
Muitas ausências, infelicidade na concretização - também muito por mérito da grande exibição do guarda-redes contrário -, um campo diminuto (quase metade do "nosso" pavilhão...), e uma óptima equipa que está muito bem classificada na 2ª divisão da AFPorto, resultaram numa derrota clara do Portus, mas também num excelente treino. Revelámos grandes dificuldades de adaptação a um espaço de jogo muito reduzido (o adversário treina aí duas vezes por semana), sem espaços e no qual a componente "remate de longe" é decisiva...Mas é em condições difíceis e perante equipas poderosas que se progide...


10 - Hugo V. 7-4 S. Mamede 12 Nov.02 (ter.)
HV, ZM (1), MC (1), JN(2), TZ(2), SM (1) e MM
0-1, 1-1, 1-2, 2-2, 2-3, 3-3, 4-3, 4-4, 7-4
Não começamos bem, demasiado amorfos, perante uma equipa que tem vindo a crescer. Mas depois, recorrendo a uma garra que nos caracteriza, lá "demos a volta ao texto", com determinação e algumas jogadas vistosas. Destaque para a excelente prestação de Hélder no seu regresso à baliza.


9- "Piões de Talaíde" v. 9-7 Paço d'Arcos (Lisboa) 08 Nov.02
OM, ZM (1), HV (2), JN(3), GC(2), TZ(1) e MM
1-0, 1-1, 5-1, 5-2, 7-2, 7-5, 8-5, 8-7, 9-7
Na primeira deslocação a Lisboa, realizamos uma partida razoável contra uma equipa que jogava num sistema semelhante ao nosso. Começamos bem, dominadores e goleadores, mas depois permitimos uma valorosa reacção dos nossos adversários, que estiveram perto do empate. Mas um belo golo do Greg resolveu definitivamente o assunto. Até porque ganhar na capital era quase uma questão de honra. Referência final para a correcção e bom ambiente em que se disputou o encontro e a festa que se seguiu...


8- Novelense D. 6-15 Penafiel (Pav.Fernanda Ribeiro)
5 Nov.02 (ter)
OM, ZM, HV, JN(2), GC(1), TZ(2), MM, MC(1)
O que é que se pode dizer?...Defrontamos uma excelente equipa (topo da classificação da 2ª divisão AFPorto), com um sistema de jogo que nos era completamente estranho e entramos mal e a perder. Mas ao contrário do que o resultado possa fazer parecer, durante a hora e meia de jogo houve fases em que controlamos as operações, mas andamos sempre atrás do prejuizo.."perdido por um, perdido por mil (ou seja por 15)", sofrendo os efeitos de um contrataque letal. De referir que ainda tivemos outras contrariadades nas lesões de ZM e GC. Uma coisa ficou bem patente, como a equipa adversária bem referiu, o Portus87 jamais desiste e é extremamente competitivo em qualquer situação.


7- JOAMAR V. 10-3 S. Mamede 29 Out.02 (ter)
OM, ZM (1), HV(2), JN(4), TZ, MM (2), Sebas (1)
Excelente jogo, no qual o Portus87 começou a perder mas deu a volta ao resultado. Exibição muito conseguida, em termos colectivos e individuais, com detaque para o Orlando e João Nuno.

6- Tiago V. 5-2 S. Mamede 22 Out.02 (ter)
OM, ZM, HV, JN(1), TZ(1), MC, MM (3)
0-1, 1-1, 1-2, 5-2
Jogo com a equipa do Tiago, vitória por 5-2, num festival de golos falhados...Pouca concentração e alguma falta de confiança evidenciadas.


5- GRUPO DO DESTINO V. 9-0 S. Mamede 12 Out.02 (sab)-torneio circuito das cidades
OM, ZM, HV(1), JN(3), TZ(2), MC, GC, MM(3)

Depois de um inicio "preclitante" voltamos ao nosso melhor...E quem pagou foi o outro grupo. Uma questão de destino...Absolutamente delicioso o golo do TZ de calcanhar fazendo um "chapeu" ao guarda-redes.


4- Under41 D. 0-1 S. Mamede 12 Out.02 (sab)-torneio circuito das cidades
OM, ZM, HV, JN, TZ, MC, GC, MM

O resultado diz quase tudo...Foi um jogo muito calculista e cheio de preocupações defensivas, fruto provavelmente do conhecimento mútuo entre as duas equipas. Os Under41 foram mais felizes, já que nós tivemos claramente mais oportunidades de golo. Mas como só contam as que entram...


3- JOAMAR V. 11-6 S. Mamede 24 Set.02 (ter)
OM, ZM (1), HV(3), JN(2), TZ(2), MC (2), auto(1)
Jogo muito aberto de parte a parte, desta vez com destaque para os movimentos atacantes, pelos golos obtidos e pelos falhados...


2- Casais Novos V. 8-5 Penafiel (Pav.Fernanda Ribeiro) 12 Set.02 (qui)
OM, HV, JN(2), GC(3), TZ(1), MM(1), MC, SM (1)
0-1, 1.1, 2-1, 3-1, 3-2, 4-2, 4-3, 6-3, 6-4, 7-4, 7-5, 8-5
Uma bela exibição contra uma equipa muito organizada e mecanizada (2ªa divisão distrital da AFP). Elevados níveis de concentração e rigor, misturados com à vontade e criatividade com a bola nos pés redundaram numa noite de satisfação para o PORTUS 87.


1- Hugo V. 5-3 S. Mamede 10 Set. 02 (ter)
OM, MC, JN (1), TZ (1), MM (2), HV (1)
5-0, 5-3
A melhor forma de começar a época competitiva: uma vitória sobre a equipa que nos bateu no último encontro "em casa" da época passada. Iniciámos muito bem a partida mas depois tivemos que defender o resultado com "unhas e dentes", com o OM em grande!